Considerações para o tratamento de crianças com suspeita ou confirmação de COVID-19

RECURSOS E INFORMAÇÕES DA COVID‑19

Última atualização: 16 Nov 2020, 02:45PM (NZDT)

Esse recurso informativo foi compilado para auxiliar os profissionais de saúde no tratamento de neonatos, lactentes e crianças com suspeita ou confirmação de COVID-19. As presentes informações não se destinam a substituir as recomendações ou exigências das políticas locais do seu hospital.

Essa base de dados menciona as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS).1 Use o link desta base de dados para garantir acesso aos conselhos mais recentes da OMS.

Os padrões epidemiológicos e clínicos da COVID-19 permanecem desconhecidos, principalmente entre neonatos, lactentes e crianças.

  • Na população neonatal, vários estudos constataram que o risco de transmissão vertical da COVID-19 no nascimento é improvável e que há um baixo risco de infecção dos bebês ao nascer, mesmo que a mãe tenha diagnóstico positivo para COVID-19.2-5
  • Em um estudo com 2.143 pacientes pediátricos com COVID-19 confirmada ou suspeita,6 verificou-se que:
    • 94% dos pacientes pediátricos foram diagnosticados como assintomáticos, leves ou moderados.
    • 5,9% dos pacientes pediátricos foram diagnosticados como graves ou críticos, em comparação com 18,5% dos pacientes adultos. Houve uma morte relatada de um paciente de 14 anos de idade neste estudo.
  • Estudos posteriores publicados na Europa7 e nos EUA8 apoiaram estes primeiros dados da China:
    • Uma pequena porcentagem de todos os casos de COVID-19 ocorreu em crianças (1,7% nos dados dos EUA, apesar de constituir 22% da população dos EUA, e 1,2% nos dados italianos).
    • Poucos pacientes pediátricos são diagnosticados com doença grave ou crítica, com apenas 2% internados em UTIP nos dados dos EUA.
    • Apenas três mortes (< 0,2% dos pacientes pediátricos) foram relatadas nos dados dos EUA e nenhuma morte foi relatada em crianças no estudo italiano.

Na maioria dos casos pediátricos, não há evidências que sugiram que as decisões terapêuticas devam ser alteradas. O tratamento deve ser orientado pelo quadro fisiológico e clínico subjacente do paciente, em conjunto com as atuais estratégias de tratamento respiratório baseadas em evidências.

Tratamento respiratório pediátrico no contexto do COVID-19

Os pacientes que necessitam de suporte respiratório devido à COVID-19 têm uma carga viral alta e representam um risco potencial de infecção para profissionais de saúde e outros pacientes. Todos os pacientes com doença confirmada ou suspeita de COVID-19 devem ser tratados com precauções apropriadas de isolamento e equipamento de proteção individual (EPI). Consulte a política do hospital ou as diretrizes da OMS. 

A OMS define a intubação endotraqueal como um procedimento gerador de aerossol e, portanto, sujeito a precauções para transmissão por via aérea.1 Além disso, devido a incertezas sobre o potencial de aerossolização, o alto fluxo nasal (NHF) e a ventilação não invasiva (VNI), incluindo o Bubble CPAP, devem ser utilizados com precauções para aerossóis. A magnitude do risco apresentado pelas terapias não invasivas precisa ser avaliada em relação ao risco provocado pela fala alta (choro),9 tosse e procedimentos geradores de aerossóis conhecidos e de “alto risco”, como a intubação.10 No entanto, recomenda-se uma abordagem cautelosa a todos os pacientes potencialmente infecciosos que recebem suporte respiratório, independentemente da modalidade, até que uma avaliação de segurança adicional possa ser concluída.

Alto fluxo nasal

As diretrizes da OMS sugerem que a cânula ou prong nasal é o melhor método inicial de administração de oxigenoterapia para crianças pequenas, pois pode ser melhor tolerado, e o NHF deve ser considerado em alguns pacientes com insuficiência respiratória hipoxêmica. Todos os pacientes tratados com NHF devem ser acompanhados de perto para monitorar a deterioração clínica.1 

No caso de instituições que planejam reduzir as taxas de fluxo fornecidas através do NHF durante esta pandemia, é importante ressaltar que isso pode afetar negativamente a eficácia da terapia; além disso, atualmente não há evidências que sugiram que isso atenue os riscos para os profissionais de saúde. O isolamento adequado e as precauções de EPI para transmissão por via aérea ainda são recomendadas (independentemente da taxa de fluxo) e, uma vez instalado, sugerimos seguir as taxas de fluxo baseadas em evidências para maximizar a eficácia da terapia.

Para obter dados sobre dispersão de aerossóis, visite Informações sobre terapia de alto fluxo nasal para COVID-19.

Produtos pediátricos para alto fluxo nasal Fisher & Paykel (F&P) Healthcare#

  • As interfaces de alto fluxo nasal Optiflow™ Junior, Optiflow Junior 2 e Optiflow Junior 2+, os circuitos para alto fluxo nasal F&P e acessórios associados se destinam apenas para uso em um único paciente.

CPAP

As diretrizes da OMS ressaltam que, em situações em que a ventilação mecânica pode não estar disponível, o Bubble CPAP nasal pode ser usado em pacientes com hipoxemia grave e pode estar mais facilmente disponível.1

No caso de instituições em que o Bubble CPAP é o padrão atual de tratamento para recém-nascidos que necessitam de suporte respiratório (por razões não relacionadas à COVID-19), atualmente não há recomendações para alterar a prática clínica para a maioria dos pacientes neonatais.

Com qualquer sistema de fornecimento de Bubble CPAP, há dois locais principais por onde os potenciais gases e aerossóis podem vazar: entre o paciente e a máscara/prongs (vazamento do paciente) e pelo local por onde o ar sai do gerador Bubble CPAP (vazamento intencional).

  • A terapia de Bubble CPAP deve ser tratada como uma terapia geradora de aerossol e EPI adequado deve ser usado.
  • É preciso usar uma máscara/prong de tamanho adequado e bem adaptada para reduzir o vazamento do paciente. 
  • Tentativas de filtrar o gás expiratório devem levar em consideração os efeitos dessa filtração sobre a eficácia da terapia.11
Produtos para CPAP pediátrico F&P Healthcare#
  • O gerador Bubble CPAP F&P, a interface nasal FlexiTrunk™ F&P, os circuitos de CPAP pediátrico F&P e todos os acessórios associados se destinam apenas para uso em um único paciente.
  • A adição de uma solução antiviral nos geradores Bubble CPAP foi documentada anteriormente.12 A F&P Healthcare não testou a eficácia de tais soluções em termos de capacidade para reduzir a aerossolização de um vírus no sistema Bubble CPAP de forma eficaz. Entretanto, o uso de uma solução de ácido acético 0,1% (vinagre) não terá efeitos adversos no material do gerador Bubble CPAP. O gerador Bubble CPAP F&P deve ser sempre montado abaixo do nível do paciente.
  • Não é aconselhável a adição de um filtro em qualquer parte do ramo expiratório do sistema Bubble CPAP. A F&P Healthcare recomenda redobrar o cuidado ao usar filtros de maneiras não aprovadas ou improvisadas. A resistência ao fluxo, a eficiência da filtração em diferentes condições, o espaço morto instrumental, a dinâmica do fluxo através do sistema e o potencial de captura de gás são apenas alguns dos fatores de segurança importantes que os profissionais de saúde devem levar em consideração. Ao adicionar um filtro no sistema Bubble CPAP, no local da abertura para a atmosfera, esteja ciente de que o gerador do Bubble CPAP não foi projetado para ser lacrado e, portanto, nem todo o gás expiratório de saída será filtrado.
  • Para a adição de um filtro nos circuitos de CPAP acionados por ventilador, consulte o fabricante do ventilador. Para dúvidas relacionadas ao uso de filtros com circuitos de ventilação F&P, acesse Filtração Viral e Bacteriana dos Filtros F&P Healthcare e Circuitos Evaqua™ 2 F&P.

Reanimação

Embora a reanimação neonatal e infantil deva ser considerada um procedimento gerador de aerossóis, o European Respiratory Council afirmou que não há evidências atuais para sugerir infecção do trato respiratório ao nascimento ou subsequente disseminação viral gerada por meio de dispositivos ou procedimentos de reanimação.13 O Resuscitation Council UK afirma que não há casos relatados de profissionais de saúde que contraíram COVID-19 de um recém-nascido por meio de procedimentos de reanimação.14 Dada essa evidência, juntamente com a probabilidade de vazamento da máscara e os efeitos terapêuticos negativos provavelmente gerados pela adição de filtros aos circuitos, os riscos do uso de filtros durante a reanimação infantil podem ser maiores do que o benefício potencial proporcionado. 

Produtos de reanimação pediátricos F&P Healthcare#

  • O Neopuff™ F&P é destinado ao uso por vários pacientes. O Neopuff é um dispositivo de pressão positiva que fornece fluxo de gás unidirecional. O gás sai do sistema através da válvula de pressão expiratória final positiva (PEEP). Isso evita que fluidos expostos do paciente retornem ao dispositivo, o que reduz o risco de contaminação entre os pacientes. Consulte o manual técnico do produto para obter instruções sobre a higienização do Neopuff entre as utilizações de paciente a paciente.

  • Os circuitos e máscaras de reanimação pediátricos F&P se destinam apenas para uso em um único paciente.
  • Não é aconselhável a adição de um filtro entre a peça em “T” e a máscara de reanimação. A F&P Healthcare recomenda redobrar o cuidado ao usar filtros de maneiras não aprovadas ou improvisadas. A resistência ao fluxo, a eficiência da filtração em diferentes condições, o espaço morto instrumental, a dinâmica do fluxo através do sistema e o potencial de captura de gás são apenas alguns dos fatores de segurança importantes que os profissionais de saúde devem levar em consideração. 

Ventilação invasiva


Quando há a necessidade de ventilação invasiva, a administração de gás umidificado e aquecido é amplamente recomendada e utilizada durante o suporte respiratório invasivo.15

Circuitos umidificados de ventilação invasiva pediátricos F&P Healthcare#
  • Os circuitos invasivos pediátricos F&P se destinam apenas para uso em um único paciente.
  • Para ventiladores pediátricos/neonatais que não possuem um filtro expiratório inerente e abertura para a atmosfera, um filtro descartável pode ser utilizado.
    • Certifique-se de que o filtro tem conexões de 15 mm para facilitar as conexões seguras, minimizar o espaço morto e otimizar o desempenho do ventilador.
    • Utilize apenas filtros aprovados por agências reguladoras. Eles foram testados de acordo com normas internacionalmente reconhecidas de eficiência de filtração contra bactérias e vírus.
    • Esteja ciente de que a eficiência de filtração dos filtros muda de acordo com a operação. Verifique periodicamente as configurações do ventilador e substitua os filtros de acordo com a especificação do fabricante.
  • Os filtros F&P (RT016, RT019, RT020) não se destinam para uso com circuitos de ventilação invasiva neonatal F&P. Para informações adicionais sobre o uso de filtros inspiratórios/expiratórios com circuitos de ventilação invasivo, acesse Filtração Viral e Bacteriana dos Filtros F&P Healthcare e Circuitos Evaqua™ 2 F&P

Umidificação aquecida

Pacientes com COVID-19 que estão com doença respiratória grave precisam de altos níveis de umidade para auxiliar no controle da secreção e obstrução mucosa.16 A umidificação aquecida promove ventilação e troca de gases eficientes17 e preserva a função mucociliar ideal.18

Para obter informações sobre umidificação aquecida para profissionais de saúde envolvidos no tratamento de pacientes com COVID-19, acesse Umidificação aquecida para profissionais de saúde envolvidos no tratamento de pacientes com COVID-19.

Outros recursos de produtos F&P Healthcare

Para obter mais informações sobre a nossa linha de produtos pediátricos, incluindo folhetos de especificação, instruções de uso e vídeos educacionais, visite a  Página de suporte de tratamentos respiratórios pediátricos

Para obter mais informações sobre os umidificadores e geradores de fluxo aquecidos da F&P, visite: 

# Consulte sempre as instruções de uso fornecidas com o produto para obter instruções completas de instalação, avisos, precauções e contraindicações. Se um dispositivo for configurado de uma forma não autorizada, o usuário reconhece que não é a configuração aprovada do dispositivo e que tal utilização é de sua responsabilidade e risco.