Efeitos fisiológicos

Os mecanismos de suporte respiratório, hidratação das vias aéreas, conforto do paciente e oxigênio suplementar contribuem para efeitos fisiológicos distintos.

"[O Alto fluxo nasal] reduziu significativamente a frequência respiratória."

~ Sztrymf et al. Intensive Care Med. 2011.

  • Reduz a frequência respiratória em comparação à oxigenoterapia tradicional
    Sztrymf et al. Intensive Care Medicine. 2011,
    Corley et al. Br J Anaesth. 2011,
    Roca et al. Respir Care. 2010,
    Lenglet et al. Respir Care. 2012,
    Rittayamai et al. Respir Care. 2013.

  • Reduz a frequência respiratória em pacientes com insuficiência cardíaca
    Roca et al. Journal of Critical Care. 2013.

  • Reduz a frequência respiratória em pacientes paliativos
    Peters et al. Respir Care. 2012.

  • Reduz a reinalação de CO2
    Möller et al. J Appl Physiol. 2015.

  • Reduz o volume de gás expirado no espaço morto
    Mündel et al. J Appl Physiol. 2013.

  • Reduz o CO2 arterial
    Jeong et al. Am J Em Med. 2015.

  • Fornece FiO2 prescrito
    Ritchie et al. Anaesth Intensive Care. 2011.
    Masclans et al. Clin Pulm Med. 2012.
  • Melhora a oxigenação em pacientes com desconforto respiratório
    Peters et al. Respir Care. 2012
    Sztrymf et al. Intensive Care Medicine. 2011.
  • Melhora a oxigenação em comparação com a oxigenoterapia tradicional
    Corley et al. Br J Anaesth. 2011.
    Roca et al. Respir Care. 2010
    Maggiore et al. Am J Respir Crit Care Med. 2014.
  • Oxigenação melhorada durante a broncoscopia
    Lucangelo et al. Crit Care Res Pract. 2012.
  • Aumenta o volume corrente em comparação com a oxigenoterapia de baixo fluxo
    Corley et al. Br J Anaesth. 2011.

 

Aumenta a pressão nas vias aéreas, a qual gera um aumento no volume pulmonar expiratório final
Baseado nas medições de impedância do pulmão
Corley et al. Br J Anaesth. 2011.

A terapia de umidificação melhora a depuração mucociliar
Hasani A. et al. Chron Respir Dis. 2008.