Quando o Equilíbrio Natural está Comprometido

Quando uma criança precisa de suporte respiratório, o equilíbrio natural das vias aéreas pode estar comprometido. As intervenções respiratórias sem umidificação impedem o desenvolvimento da criança e aumentam significativamente os riscos associados, conforme descrito a seguir:

1. Uma ameaça às reservas de energia
Crianças em desenvolvimento precisam de energia para crescer e se desenvolver. A depleção de calor e umidade pode afetar negativamente as reservas de energia. 

2. Um sistema de transporte mucociliar imaturo
O sistema de transporte mucociliar é inerentemente comprometido em uma criança. Os cílios geralmente são muito curtos e descoordenados para alcançar efetivamente a camada de muco. Se forem utilizados gases para suporte ventilatório com baixos níveis de umidade, a depuração mucociliar será severamente comprometida.

3. Gases medicinais
Os gases medicinais são extremamente frios e secos. Sua utilização em tratamentos respiratórios geralmente significa que gases de baixa umidade são fornecidos para as crianças. A influência de gases de baixa umidade pode ser significante. A tabela acima destaca as várias formas de fornecimento de gás para crianças em hospitais.

4. Vias aéreas intubadas
Cânulas endotraqueais ou de traqueostomia suprimem as vias aéreas superiores, onde a maior parte do calor e da umidade são normalmente adicionados durante a inspiração. Nesse processo, os mecanismos de filtragem das vias aéreas superiores também são suprimidos.

5. Fluxos inspiratórios
Mesmo que as taxas de fluxo de gás medicinal possam ser classificadas como “baixas”, elas ainda podem compor uma proporção significativa ou exceder o volume minuto da criança. Como efeito, o calor e a umidade excessivos são eliminados da mucosa das vias aéreas.

Uma ameaça às reservas de energia

Crianças em desenvolvimento precisam de energia para crescer e se desenvolver. A depleção de calor e umidade das vias aéreas pode impactar negativamente essas reservas limitadas de energia através de:

Aumento do risco de infecção

Gases de baixa umidade aumentam o risco de infecção por sobrecarregar o sistema de transporte mucociliar, reduzindo sua eficiência e a expulsão de contaminantes causadores de infecções.

Mecânica respiratória prejudicada

O trabalho respiratório pode aumentar significativamente quando o lúmen das vias aéreas é reduzido devido a intubação, acúmulo de secreção, broncoconstrição e baixa complacência pulmonar.

Perdas evaporativa

Quando níveis inadequados de umidade são inalados, o vapor de água é retirado da mucosa das vias aéreas até que o gás inspirado atinja 37 °C, 44 mg/L. A energia dispendida pela criança para cada grama de água removido da mucosa é de 0,58 kCal (2,4 kJ).

O gráfico ao lado destaca os níveis de umidade que podem ser fornecidos durante várias intervenções respiratórias, em relação ao que é fisiologicamente normal (37 °C, 44 mg/L) para os pulmões.

O déficit deve ser corrigido pelas vias aéreas da criança, exigindo um consumo significante de preciosas reservas de energia.